sábado, 27 de agosto de 2011

Amigo do Twente deu-lhe os parabéns

O melhor amigo de Witsel, Nacer Chadli, actua no Twente. Por lesão, não pôde defrontar o Benfica, tendo ficado na Holanda. Porém, viu o jogo "atentamente" e já fez questão de contactar o amigo. "Enviei-lhe uma mensagem a dar-lhe os parabéns pela exibição e pela qualificação. Dominaram-nos completamente", revelou a O JOGO.




Fonte: O Jogo

Festejos de golos já são um clássico

A forma como Witsel festejou os golos surpreendeu muitas pessoas. A atitude do camisola 28 após cada um dos golos, juntando as mãos em forma de uma ave e "dando-lhe asas", fez até equacionar uma celebração dedicada ao Benfica, em homenagem à águia, símbolo do clube da Luz. Porém, este festejo é já um clássico do internacional belga, que assim comemorava também cada golo marcado ao serviço do Standard e ainda pela sua selecção. Uma das inspirações do festejo está precisamente nas origens de Witsel. O pai do atleta é da Martinica, ilha que tem o colibri como um dos seus símbolos. Ora, o médio é bastante apegado às raízes familiares e por isso simula, após cada golo, o voo daquela ave.




Fonte: O Jogo

Meio-Campo tem a cara de Witsel


Axel Witsel é a nova jóia da coroa do Benfica. O internacional belga conduziu as águias até à fase de grupos da Liga dos Campeões e demonstrou definitivamente que Jorge Jesus tem entre mãos uma opção incontornável para o sector intermediário. Aliás, a presença de Witsel no onze encarnado obriga mesmo a uma série de transformações, com o meio-campo do conjunto orientado por Jesus a desenhar-se já - a partida com o Twente foi exemplo disso mesmo - à imagem do futebolista ex-Standard de Liège. Jogador completo, Witsel revela um posicionamento exímio no relvado, desempenhando com elevada eficácia as tarefas ordenadas pelo treinador encarnado tanto a nível defensivo como ofensivo, beneficiando a equipa dos seus processos simples e futebol a um/dois toques.

Com a contratação de Witsel, o 4x1x3x2 utilizado por Jorge Jesus nas duas primeiras épocas no comando do clube da Luz parece assim condenado à extinção, uma vez que o jogador belga é considerado pelo técnico uma das peças fundamentais na estratégia da equipa. Aliás, Jesus não lhe tem poupado elogios, soltando-os praticamente a cada partida, nomeadamente após a segunda mão com o Trabzonspor e com o Twente. Na última quarta-feira referiu que o camisola 28 "é um jogador com características especiais" e que está ainda "a crescer e a conhecer a obrigação táctica" que deve ter na Luz, e já na Turquia tinha frisado: "Foi um jogador inteiro. É jovem, mas culto tacticamente. Ele e Aimar são compatíveis." Esta é precisamente uma das premissas de Jesus para a nova época. A ideia do técnico encarnado é colocar Witsel no apoio a Javi García, funcionando quase num duplo pivô defensivo e permitindo maior preponderância a Aimar no ataque.

A presença de Witsel altera alguns fundamentos das águias - antes do jogo com o Feirense, Jesus disse que o plantel deste ano foi escolhido não só pela questão técnica, mas também pela capacidade física - e permite a El Mago uma maior liberdade de movimentos. Além de ter uma menor preocupação na missão defensiva, pois Javi García ganha agora um novo apoio para o trabalho de sapa, o camisola 10 percorre um maior espaço na frente de ataque, respondendo para já a alto nível, como se verificou com o Twente.

A ganhar cada vez mais o seu espaço na Luz, Witsel parece ter finalmente apresentado argumentos que levem a que Jesus termine com a sua rotação entre o onze inicial e o banco de suplentes. O camisola 28 tinha sido titular apenas em três das seis partidas oficiais já disputadas pelas águias, precisamente nas eliminatórias de acesso à Champions (primeiro com o Trabzonspor, na Turquia, e depois no duplo confronto com o Twente). A partir de agora, já não falta quem diga que o onze encarnado será formado por Witsel... e mais dez. Na próxima segunda-feira, na deslocação ao terreno do Nacional, Witsel deve ter assegurada pela primeira vez a titularidade na Liga, tentando repetir as exibições que tem feito na Europa.


Fonte: O Jogo

Camisolas que Pablo Aimar, Witsel e Nolito foram as mais caras no leilão


(…)

As camisolas que Pablo Aimar, Witsel e Nolito envergaram na Benfica Cup foram as que mais dinheiro renderam no leilão efectuado pela Fundação do clube.


Fonte: CM

Benfica regressa ao trabalho


Depois da vitória no «play off» da Liga dos Campeões, o Benfica regressou a trabalho, esta sexta-feira, numa sessão em que os internacionais sub-20 Michael, Roderick e Luís Martins estiveram às ordens de Jorge Jesus. 

O mesmo não aconteceu com Garay, Nélson Oliveira, Matic, Fábio Faria e Jara.

O Benfica vai prosseguir na sexta-feira a preparação para a partida, de segunda-feira, no terreno do Nacional.


Fonte: A Bola

Witsel é o novo menino de ouro da Luz


O ouro está em alta e em alta ficou a cotação de Axel Witsel, não só porque se estreou a marcar com um bis, mas porque os dois golos foram fundamentais para o clube arrecadar 7,2 milhões com a entrada directa na fase de grupos da Liga dos Campeões.

Numa lógica mais simplista, pode dizer-se que o internacional belga (20 jogos, cinco golos) ajudou a pagar-se a ele próprio e ainda deu troco - recorde-se que o passe de Witsel foi adquirido ao Standard Liège por 6,5 milhões de euros. Uma exibição que valeu ouro, ou não fosse a Liga dos Campeões a maior fonte de receita dos encarnados a seguir à venda dos passes dos jogadores.

O camisola 28 entrou de mansinho na equipa mas rapidamente se impôs e começa a ser difícil tirá-lo. Pelo que joga e porque está a fazer regressar à Luz um tipo de jogador que andou desaparecido: o número 8 à antiga.

«Faz-me lembrar o Jaime Graça», diz a BOLA António Simões, campeão europeu pelo Benfica e terceiro classificado no Mundial-66. «Naquele tempo, Jaime Graça era o tipo de jogador que hoje se diz que é moderno: um médio que atacava e defendia. Nos últimos 20 anos isso foi desaparecendo, pois as equipas foram apostando em dois números seis, ou um seis e um seis e meio, quando queriam preencher o meio-campo, numa atitude mais conservadora», defende Simões, regozijando-se pela contratação de Witsel: «Revela enorme inteligência e capacidade técnica e física para fazer o que hoje se pede a todos os jogadores: ocupar várias posições e colocar dinâmica no jogo.»


Fonte: A Bola

"Witsel ficará pouco tempo em Portugal"


Laszlo Bölöni, último treinador campeão nacional pelo Sporting, foi um dos técnicos que trabalharam com Axel Witsel, o novo menino bonito da Luz. Em conversa com o DN elogia a aquisição encarnada para esta temporada, mas também confessa que estava à espera de outro desafio para o internacional belga.

"Se continuar a evoluir como até agora, e face também ao interesse de outros clubes, que desde a minha altura também já se falava, ficará pouco tempo em Portugal e no Benfica.


Fonte: DN

Witsel já custa 7 milhões ás águias

O Benfica vai pagar mais 500 mil euros ao Standard Liège por ter assegurado a presença na fase de grupos da Liga dos Campeões. O acordo de venda de Axel Witsel aos encarnados prevê objetivos europeus, que podem ascender a um milhão de euros nos dois primeiros anos de contrato.

O médio, que assinou até 2016, chegou à Luz por 6,5 milhões de euros, mas na totalidade pode custar 7, 5 milhões de euros aos cofres encarnados. A juntar aos 500 mil euros que a SAD benfiquista vai pagar agora, depois da equipa ter ultrapassado a 3.ª pré-eliminatória e o playoff, o Standard pode ainda arrecadar a mesma verba na próxima época, caso a formação lisboeta volte a marcar presença na fase de grupos da mais importante prova de clubes da UEFA.


Fonte: Record

"Witsel vai entrar na história do Benfica"


Axel Witsel vai encantando os adeptos do Benfica e depois da exibição frente ao Twente, onde marcou dois golos, foi convocado pela Seleção Belga para o jogo frente ao Azerbaijão, da fase de qualificação do Euro 2012.

O ex-jogador do Standard de Liège tem tudo para se tornar numa referência no Benfica, entende o ex-treinador do Sporting Robert Waseige. "Se os adeptos aceitarem sem problemas os jogadores estrangeiros e os apoiarem é um jogador que vai entrar na história do clube", vaticina o técnico belga em declarações à Rádio Renascença.

Waseige não se mostra surpreendido com o sucesso de Witsel, "ele já demonstrou o seu valor na Bélgica", aponta. "Tem estado muito bem no Benfica", considera, frisando que se tem apresentado "realmente a 100 por cento".

O ex-treinador leonino prevê ainda que Witsel, alinhando na posição 8 como gosta, poderá marcar mais do que 10 golos por temporada.


Fonte: Relvado

Man. United entusiasmado com embate frente ao Benfica

O director executivo do Manchester United, David Gill, congratula-se com a oportunidade de voltar a defrontar o Benfica na Liga dos Campeões.

«Tivemos grandes jogos contra o Benfica no passado. Vimos Sir Bobby Charlton colocá-los no nosso caminho no sorteio... Ele recorda a noite fantástica em que os vencemos na final de Wembley, em 1968. É justiça poética que voltemos a defrontá-los», disse David Gill àSkysports.

«Estamos ansiosos por esses dois jogos, regressar a Portugal será um grande momento», antecipou.

A um outro nível, David Gill adiantou que o plantel dos red devils está fechado: «Penso que não haverá mais contratações. Confiamos no plantel que temos ao nosso dispor».





Fonte: A Bola

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Benfica - Twente: Flash interview com Witsel

Videos - Golos de Witsel frente ao Twente


Calendário da Champions


Grupo C - Man. United, Benfica, Basel, Otelul

Benfica - Man. United (14/09)
FC Oţelul - Benfica (27/09)
FC Basel - Benfica (18/10)
Benfica - FC Basel (2/11)
Man. United - Benfica (22/11)
Benfica - FC Oţelul (7/12)

Man. United, Basileia e Otelul Galati no caminho do Benfica


FC Porto ficou integrado no Grupo G da Liga dos Campeões com Skahktar, Zenit (de Danny e Bruno Alves) e o APOEL (de Nuno Morais, Paulo Jorge e Hélio Pinto). Já o Benfica vai disputar o Grupo C com Manchester United, Basileia (de Carlitos) e Otelul Galati, equipa romena que se estreia na fase de grupos da Champions. 

A fase de grupos disputa-se entre os dias 13/14 de Setembro e 6/7 de Dezembro.

Grupo A:
Bayern (Alemanha)
Villarreal (Espanha)
Manchester City (Inglaterra)
Nápoles (Itália)

Grupo B:
Inter (Itália)
CSKA (Rússia)
Lille (França)
Trabzonspor (Turquia)

Grupo C:
Manchester United (Inglaterra)
BENFICA 
Basileia (Suíça)
Otelul Galati (Roménia)

Grupo D:
Real Madrid (Espanha)
Lyon (França)
Ajax (Holanda)
Dínamo Zagreb (Croácia)

Grupo E:
Chelsea (Inglaterra)
Valência (Espanha)
B. Leverkusen (Alemanha)
Genk (Bélgica)

Grupo F:
Arsenal (Inglaterra)
Marselha (França)
Olympiakos (Grécia)
B. Dortmund (Alemanha)

Grupo G:
FC PORTO 
Shakhtar (Ucrânia)
Zenit (Rússia)
APOEL (Chipre)

Grupo H:
Barcelona (Espanha)
Milan (Itália)
BATE Borisov (Bielorrússia)
Viktoria Plzen (Rep. Checa)


Fonte: A Bola

Capas de Jornais (25/08/2011)


Witsel convocado para a selecção belga


Witsel, médio do Benfica, foi convocado para dois jogos da selecção belga em Setembro. Um será com o Azerbaijão, para a qualificação do EURO 2012, o outro com os Estados Unidos, de carácter particular.

Steven Defour, médio contratado pelo F.C. Porto, não foi chamado. Na lista consta também Lukaku, avançado de 18 anos contratado pelo Chelsea ao Anderlecht.

Guarda-redes: Thibaut Courtois (Atletico Madrid), Jean-François Gillet (Bolonha), Simon Mignolet (Sunderland).


Defesas: Toby Alderweireld (Ajax), Vincent Kompany (Manchester City), Lombaerts (Zenit), Denis Odoi (Anderlecht), Daniel Van Buyten (Bayern Munich), Jelle Van Damme (Standard), Thomas Vermaelen (Arsenal), Jan Vertonghen (Ajax).

Médios: Moussa Dembele (Fulham), Marouane Fellaini (Everton), David Hubert (Genk), Vadis Odjidja (FC Bruges), Timmy Simons (Nuremberga), Jelle Vossen (Genk), Axel Witsel (Benfica).

Avançados: Mertens (PSV Eindhoven), Igor De Camargo (Borussia Mönchengladbach), Romelu Lukaku (Chelsea), Marvin Ogunjimi (Genk), Bjorn Vleminckx (FC Bruges), Eden Hazard (Lille).


Fonte: Mais Futebol

A FIGURA: Witsel 9


Se, como DJ, Witsel já tinha "deitado fogo" à noite de Liège - há dias foi colocado na internet um vídeo onde o médio prometia "pegar fogo" a uma discoteca, no último Verão -, ontem assumiu novamente o papel de DJ, deixando a Luz a arder... com o seu futebol. Entrou a todo o gás, pressionando muito alto e ajudando Aimar na organização. E para coroar a exibição, dois golos de grande nível; o primeiro de meia bicicleta, o segundo de grande frieza. Witsel deixou-se seduzir pelos milhões da Champions e mostrou que é um jogador vocacionado para esta prova, pois sabe fazer tudo... e fá-lo bem.


Fonte: O Jogo

O MOMENTO: Meia bicicleta a abrir caminho


A primeira parte sufocante do Benfica tinha resultado em nada: o nulo ao intervalo podia tornar-se perigoso à medida que o jogo se aproximasse do final. Por isso, nada como começar a descansar os adeptos logo a abrir a segunda parte, quando uma falta ganha por Cardozo mostrou o caminho do ouro. Gaitán bateu na direcção da cabeça de Luisão, que falhou o remate. A bola, porém, caiu junto a Witsel, que, de primeira e de costas para a baliza, aplicou meio pontapé de bicicleta e fê-la beijar as redes, acalmando os nervos no Estádio da Luz: estava feito o mais difícil.


Fonte: O Jogo

Benfica foi mais em tudo

O Benfica passou com distinção o teste de ontem. Num bom espectáculo, digno da Liga dos Campeões, é de louvar a postura séria e positiva das duas equipas num jogo que tinha vários aspectos importantes, a começar pelo resultado da primeira mão (2-2), que tornava a partida de ontem perigosa, pois ambas as equipas tinham de jogar para ganhar.

No Benfica há a salientar o rigor táctico, mesmo mantendo um ritmo alto, constante, entusiasmante, até pela existência de várias oportunidades de golos.

Ganhou o Benfica porque foi a equipa mais a todos os níveis: mais compacta e organizada a defender; mais dinâmica e com mais qualidade técnica; mais madura e experiente; mais solidária e com mais jogadores capazes de desequilibrar; mais inteligente.

Não fosse ter pecado na finalização durante a primeira parte e tudo teria sido fácil mais cedo.

Conhecendo Co Adriaanse, sabia-se de antemão que entraria na Luz para atacar, o que tornava o jogo especialmente sensível para o Benfica, mas também é verdade que frente a holandeses, de uma maneira geral, basta aguentar a primeira fase da pressão que eles depois dão espaços.

O Twente assumiu o risco, mas nem sequer foi uma equipa muito organizada, o que faz aumentar o risco quando se defronta uma equipa com a qualidade técnica de um Benfica, que ontem começou cauteloso, foi tomando conta do jogo gradualmente, criou lances de perigo desde cedo, apresentando sempre uma atitude sóbria e inteligente. E mesmo quando as coisas pareciam não correr de feição, aparecia Aimar, com o seu jogo pensado e encontrava soluções ofensivas, tornando fácil o que era o difícil.

Depois de fazer o primeiro golo, o Benfica chegou com facilidade aos 3-0. Mas nunca abandonou o rigor táctico

Para marcar, a equipa da Luz socorreu-se por duas vezes de lances de bola parada, aspecto em que é forte, tanto a defender como a atacar. Mas ontem também podia ter marcado mais golos de bola corrida.

O golo inicial soltou a equipa da pressão do medo. É que por muito bem que se esteja a jogar, enquanto não surge o golo o medo está sempre presente, pode sempre acontecer um azar, uma escorregadela...

Depois de se sentir livre, a equipa benfiquista continuou a carregar e chegou ao 3-0 com relativa facilidade, mas mantendo sempre o rigor táctico e a disciplina. Só abrandou um pouco depois do terceiro golo, o que é compreensível, não só porque a eliminatória estava mais do que ganha, como é impossível jogar os 90 minutos com o mesmo ritmo e a mesma intensidade.

Foi por culpa do Benfica que o Twente só conseguiu reagir depois do 3-0, altura em que os desequilibradores Bryan Ruiz e John - dois jogadores com muito boa técnica individual - tiveram um pouco mais de inteligência e rigor.


Fonte: O Jogo

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Benfica no pote 2


Com a vitória do Benfica sobre o Twente, Portugal vai ter duas equipas na fase de grupos da Liga dos Campeões. FC Porto, campeão português, e Benfica, vice-campeão, são os representantes portugueses na principal prova europeia a nível de clubes.

O sorteio da fase de grupos realiza-se esta quinta-feira no Mónaco, onde o FC Porto na sexta-feira vai disputar a Supertaça Europeia, em virtude de ter ganho a Liga Europa na temporada passada, frente ao Barcelona, campeão europeu.

(...)

Por sua vez, os encarnados estão no pote 2 e não vão poder ter como adversários o Milan, Lyon, Shakhtar Donetsk, Valencia, Villarreal, CSKA Moskva e Marseille, indo, no entanto, defrontar uma das equipas do pote 1, à excepção do FC Porto, pois nesta fase formações do mesmo país não se podem defrontar.

(...)


Fonte: zerozero.pt

Fotos: Benfica - Twente (LC 24/08/2011)
































Apoie o Benfica na Madeira na 3ºjornada


A equipa de Jorge Jesus prepara-se para jogar na Madeira com o Nacional, na próxima segunda-feira, dia 29 de Agosto, pelas 20h45. Adquira já o seu bilhete!

Locais de venda:
- Bilheteiras do SL Benfica (Megastore);
- Casas do Benfica que efectuam requisição de bilhetes ao Departamento das Casas do Benfica.

Preço dos Bilhetes:
- Bancada Lateral Sul – 22€;
- Bancada Nascente Central – 50€. 

Início/Fim da venda de ingressos:
- Início: 5.ª Feira (25 Agosto, às 14 horas);
- Fim: Domingo (28 Agosto, às 14 horas). 

Condições de Venda: 
- Venda aberta ao público em geral.


Fonte: Sport Lisboa e Benfica

Prestação de Witsel frente ao Twente (LC 24/08/2011)

A figura: Witsel
De regresso à titularidade, o médio belga teve a primeira grande noite de águia ao peito. Estreou-se a marcar em grande estilo, de pontapé de bicicleta, logo no primeiro minuto da etapa complementar. Tomou-lhe o gosto, e vinte minutos depois festejou novamente. A meio-campo deu muito pouco espaço aos adversários, à semelhança dos parceiros mais próximos, e voltou a mostrar sintonia de ideias com Aimar.
Mais Futebol

Witsel
Não é por acaso que o belga afirma com orgulho viver “dias felizes” na Luz. Chamado à titularidade, fez dupla de classe com Javi, foi um verdadeiro poço de força a defender e um elemento de talento a soltar a bola e a integrar-se no ataque. Foi numa dessas iniciativas, num movimento técnico bonito e complicado, que fez o golo inaugural da partida. Em noite inspirada, repetiu a dose, aos 65’, rematando para o terceiro  tento, depois de isolado por Cardozo.
Sport Lisboa e Benfica

Witsel
Entrou bem no Benfica e está a adaptar-se rapidamente. Tem qualidade técnica e cultura táctica mas não se deixa prender por ela. Daí aparecer nas zonas de finalização. E tem pinta! Se jogasse num grande de Espanha ganhava uma fortuna a fazer publicidade. Hoje até a imagem conta.
O Jogo

Witsel: reparem como ele respira


Nos primeiros jogos foi Nolito a recolher as palmas dos adeptos do Benfica e está bem assim. Mas convém não confundir as coisas. O espanhol é bom jogador, tem jeito para marcar golos, o que é notável. Witsel, também recrutado este ano, pertence à categoria mais rara dos jogadores fantásticos.

É por isso que este jogo com o Twente é uma boa oportunidade para falar em Witsel. Por causa dos golos, lá está a análise simples, mas sobretudo pelo resto que o belga mostrou.

O que me impressiona mais em Witsel é a forma como respira.

Normalmente os jogadores respiram com dificuldade. Alguns parecem carregar uma botija de oxigénio às costas. Movem-se em sofrimento e mantêm relação de duvidosa estabilidade com tudo o que tem a ver com futebol. Sobretudo com a bola.

Witsel é o contrário de tudo isto. Move-se sem que se note. Ninguém lhe descobre um instante de cansaço. A bola gosta dele e para cada esquina do jogo o médio belga possui uma solução. Não a mesma. Várias, para cada problema.

É muito bom com a bola, é excelente sem ela. Marca golos, ajuda a equipa, sente-se confortável nos flancos, mas também no centro. A tabelar como a anular as melhores ideias dos adversários.

Por hoje fico por aqui sobre Witsel, não vá o leitor achar que exagero.

PS: Por um daqueles casos que não se explicam, apesar de ser tudo aquilo que escrevi antes, não é seguro que Witsel consiga convencer Jesus a dar-lhe a titularidade em todos os jogos. Quer dizer, acabará por convencer. Mas ainda vai demorar um pouco. Para já, nos jogos a sério está garantido que o Benfica será mais equilibrado e muito melhor do que antes. Por Witsel estar em campo.


Fonte: Mais Futebol

Intervenções de Witsel no jogo com o Twente (LC 24/08/2011)


11’ - Javi García combina com Witsel e percorre vários metros até à entrada da área, decidindo-se por um remate fraco à figura de Mihaylov, dado o espaço concedido. Boa decisão, mas o disparo não saiu nas melhores condições.

17’ - Cardozo por cima! Excelente jogada de Witsel, a combinar com Aimar e depois Cardozo, com o paraguaio a virar-se e a disparar com o seu pé esquerdo. O Benfica está por cima agora.

24’ - Nolito percorre dezenas de metros pela esquerda em contra-ataque, toca para Witsel já dentro da área, mas o belga não consegue dominar bem a bola e, com os centrais a fechar, o esférico fica em Mihaylov.

27’ - Aimar cobra o canto e Witsel entra de forma fulgurante ao primeiro poste, mas não conseguiu emendar da melhor maneira.

46’ - Golo de Witsel (1-0)
Que golo do belga, numa espécie de pontapé de bicicleta. Livre de Gaitán, Luisão desvia de cabeça para trás e Witsel, no limite do fora de jogo, faz um golo muito bonito.

66’ - Golo de Witsel (3-0)
Grande passe de Cardozo a isolar Witsel que, na cara do guarda-redes, atirou certeiro, com a bola a bater no poste e a entrar. Está feito o bis para o belga, num lance onde há muito mérito para Tacuara.


Fonte: Record

Witsel: «Estou adaptado ao esquema tático»


Axel Witsel mostrou-se muito feliz após bisar frente ao Twente, contribuindo de forma decisiva para o Benfica confirmar o apuramento para a fase de grupos da Liga dos Campeões.

"Jogámos bastante bem, é preciso ver que o Twente pratica bom futebol", disse o internacional belga, de 22 anos, que demonstrou toda a sua "felicidade" pelos tentos anotados aos holandeses.

Jorge Jesus voltou a colocar a equipa disposta em 4x2x3x1, esquema tático onde Witsel tem mostrado qualidades: "Tenho-me adaptado rapidamente ao esquema."


Fonte: Record

«É magnífico ter marcado» – Witsel


O médio belga Axel Witsel reconheceu ter sido «magnífico» ter marcado na vitória do Benfica frente ao Twente (3-1), para a Liga dos Campeões. 

«É magnífica ter marcado. Esperava há muito tempo chegar ao golo e hoje marquei por duas vezes», realçou Witsel.

O reforço belga realçou que está integrado no plantel encarnado: «Estou adaptado e demonstrei isso no terreno».

Sobre a vitória frente ao Twente: «Foi um grande jogo. Na primeira parte não conseguimos marcar, mas depois fizemos três golos».


Fonte: A Bola

Witsel faz tocar música da Champions

O Benfica derrotou, esta quarta-feira, o Twente, por 3-1, golos de Witsel (2) e Luisão. Este resultado garante a presença na fase de grupos da Liga dos Campeões. 

Depois de uma primeira parte onde o Benfica criou inúmeras oportunidades de golo, mas revelou falta de frieza no momento de finalização, nos segundos 45 minutos a equipa portuguesa encontrou o caminho para o golo.

Logo aos 47 minutos o Benfica inaugurou o marcador, após um livre, Luisão fez o desvio inicial para Witsel e o belga não facilitou. Este golo desmoralizou o Twente. Essa situação foi devidamente aproveitada pela equipa portuguesa. Aos 60 minutos, após um canto de Aimar, boa exibição, Luisão cabeceou para o fundo das redes adversárias.

Seis minutos depois surgiu o terceiro golo encarnado, Cardozo isolou Witsel e o médio bateu o guarda-redes contrário. A resposta do Twente surgiu aos 72 minutos, com Artur a assinar uma defesa fenomenal para evitar o golo de Bryan Ruiz.

Aos 85 minutos, Ola John cruzou e Bryan Ruiz, de cabeça, reduziu, mas não foi suficiente para inverter a tendência do jogo.

Equipas:

BENFICA
Artur, Maxi Pereira, Luisão, Garay, Emerson, Javi Garcia, Alex Witsel, Gaitán (Bruno César, 74), Aimar, Nolito (Matic, 74) e Cardozo (Saviola, 84).
Suplentes:  Eduardo, Rúben Amorim, Bruno César, Matic, Saviola, Jardel e Enzo Peréz.

TWENTE
Nikolay Mihaylov, Tim Cornelisse, Douglas, Peter Wisgerhof, Dwight Tiendalli, de Jong, Brama (Denny Landzaat, 76), Janssen (Emir Bajrmi, 59), Bryan Ruiz, Marc Janko e Steven Barghuis (Ola John, 59).
Suplentes: Sander Boschker, Rasmus Bengtsson, Denny Landzaat, Emir Bajrmi, Roberto Rosales, Bart Buysse e Ola John.

Marcadores:
Witsel (46’), Luisão (59’), Witsel (66’), Bryan Ruiz (85’)

Acção disciplinar:
Cartão amarelo para Douglas (15’) e Maxi Pereira (76’).


Fonte: A Bola